Insights NRF 2018: 7 tendências para impulsionar as vendas

January 18, 2018

 

O setor varejista é um importante segmento para a economia e a NRF Big Show é a maior conferência mundial de discussão de tendências para impulsionar os resultados do comércio. A feira acontece anualmente no mês de janeiro em Nova York. Em 2018, entre os dias 14 e 16 de janeiro, foram mais de 30.000 participantes, 75 conferências e quase 600 expositores. Realizada no Javits Convention Center, em Manhathan, o evento contou com a presença de executivos de grandes grupos, como Walmart, Visa, Levi’s, Macy's, Delloite, dentre tantos outros convidados especiais.

 

Grandes varejistas brasileiros também marcam presença como participantes, buscando alinhar as estratégicas com as tendências mundiais. Entre eles, cito alguns, como Havan, Riachuelo, Gazin, além de entidades como Sebrae, FGV e federações de comércio. 

 

 

 

Reuni as principais ideias discutidas em diferentes palestras, que indicam os rumos que empresários devem seguir para garantir seu resultado em vendas no cenário atual:

 

 

1 - Varejo está vivendo a maior transformação de sua história

 

O varejo não é nem de longe mais o mesmo de 10, 15 ou 20 anos atrás. O setor não está morrendo e uma prova disso é que, no último ano, houve um aumento de 3,5% na presença dos clientes nas lojas físicas. Por outro lado, é preciso implementar mudanças no formato das lojas e do padrão de atendimento para que os consumidores continuem motivados a comprar dessa maneira, com a vantagem de escolher o produto, pagar e sair com ele na hora. É necessário implementar no varejo novos conceitos como, por exemplo, a possibilidade de o cliente comprar no online e buscar o produto na loja. É vital sua integração o mais rápido possível. É necessário investir em multicanais (omnichannel). Porém, é preciso que as pessoas se comprometam com as mudanças, abraçando uma cultura de transformação. 

 

 

2 - Investimento em pessoas

 

Outro ponto de grande destaque na feira foi a fala de diversos CEO’s que afirmaram que o varejo é um negócio de pessoas para pessoas. Por isso, o colaborador tem um papel fundamental no processo de vendas, pois ele é a cara da empresa. Porém, às vezes, essa "cara" é feia, pois o funcionário está insatisfeito, infeliz e mal preparado. Por essa razão, é preciso preparar os colaboradores por meio de treinamentos para que estes possam tratar bem os clientes, dizer obrigado, sorrir. Um exemplo disso é a criação da Academia Walmart que, segundo o CEO da instituição, Doug Mc Millon, tem por finalidade gerar as mudanças que a empresa precisa, de dentro para fora, em cada departamento, em cada loja.

 

 

3 - Agregar valor

 

Outro ponto chave muito comentado ao longo das conferências, é que as empresas precisam ir além do produto e do preço. Devem oferecer o inesperado, surpreender o cliente. Isso é combustível para o futuro, afirmou o presidente da Levi’s, James Curleigh. É necessário transmitir os valores da empresa para que nossos clientes possam se conectar conosco. Dessa maneira será criada uma relação direta da loja com seu público. 

 

Os clientes querem saber exatamente o que está comprando, seu impacto social, econômico e ecológico. Quando se é transparente com o cliente sobre como o produto é feito, por quem e quanto ele custa, se agrega muito valor ao produto, o que consequentemente pode levar a um maior resultado de vendas em volume ou em margem. Preparar o ponto de venda com banners de informação é um das maneiras simples de se implementar essa dica.

 

 

4 - Experiência

 

Os clientes de hoje procuram algo a mais que preço ou produtos. Procuram experiências que façam valer a pena se deslocar até a loja, principalmente os mais jovens, os chamados millenials, ou "nativos digitais". A lojas devem investir em experimentos e interação. Os clientes de hoje querem saber a história que está por traz do produto, como aquilo foi feito. As lojas devem ser um lugar onde as pessoas vão para se distraírem, para esquecerem dos seus problemas e a consequência desta experiência gerada na loja é a compra. As pessoas não procuram mais apenas os benefícios que os produtos geram, elas compram toda uma experiência com aquele consumo.

 

 

5 - Foco no consumidor/cliente

 

Pode parecer óbvio, mas o ponto é central. É necessário colocar o cliente no centro de tudo, desde o planejamento estratégico da empresa até o dia a dia. É preciso acabar com os atritos entre as empresas e seus consumidores, pois são eles que decidem se a loja vive ou morre. É fundamental responder a seus anseios e necessidades e a melhor maneira de fazermos isso é conhecendo muito bem as pessoas que compram de nós. É preciso coletar e analisar dados, receber feedbacks, acompanhar sua jornada (que não é linear).

 

Outro fator chave é compreendermos que estamos sendo observados pelo nosso consumidor, que somos analisados o tempo todo por ele (seja na loja, seja no meio virtual, por comentários de outros clientes). No fim de tudo, o cliente é o que verdadeiramente importa, sempre e sempre.

 

 

6 - Tecnologia

 

Também foi destaque na NRF o nível de tecnologia existente para o setor. A tecnologia deve facilitar a comunicação com os clientes, com a mensagem que a empresa quer transmitir. Isso pode se dar, por exemplo, com o uso de realidade virtual ampliada para apresentação de produtos ou automação de processos de venda. Outra maneira que ressalto é o uso da inteligência artificial para análise dos dados dos clientes. Um destaque da feira foi o sistema q identifica exatamente o histórico e o perfil do cliente no momento em que ele chega na loja física. Assim, o vendedor pode abordá-lo com muito mais chance de sucesso.

 

 

7 - Mídias Sociais

 

Social Media está no centro de todos os itens acima. São nas redes sociais, que os clientes ficam sabendo dos produtos, conhecem o valor da marca, recebem recomendações de amigos e indicam lojas. São fundamentais para o relacionamento com o cliente. Na NRF, executivos do Facebook e Instagram palestraram e falaram de como as empresas podem usar essas mídias sociais como plataforma para conhecer seu público e interagir com eles. Em resumo: a plataforma para publicidade no FB e Instagram tem a inteligência artificial e da base de dados do sonho de qualquer anunciante.

 

 

 

Quer uma consultoria que te ajude a implementar essas e outras ações para impulsionar suas vendas? Conheça a Consultoria Heber Fernandes, especializada em alto desempenho em vendas e uma das participantes da NRF 2018, em Nova York: contato@heberfernandes.com.br. Visite nossa página www.heberfernandes.com.br.    

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

Dica para Gestores: Campanhas de Vendas

April 29, 2019

1/4
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags